Hoje, dia 05 de junho, comemoramos o Dia Mundial do Meio Ambiente. Quando ouvimos algo assim, muitas vezes, nos vêm à memória frases clichês como “Dia do Meio Ambiente é todo dia!”. Mas não é verdade? Podemos viver sem a água que captamos, sem a terra que cultivamos, sem o ar “adequado” que respiramos, sem os outros seres vivos ou recursos minerais indispensáveis à manutenção dos ecossistemas? Não! Logo, dia de cuidar do meio ambiente é todo dia!

Como todos os anos, desde 1972, a Organização das Nações Unidas (ONU) escolhe um tema como carro-chefe do Dia do Meio Ambiente. Algo que destaque um problema ambiental global da atualidade. O tema publicado esse ano é Beat Plastic Pollution, que significa Combater a Poluição Plástica. Infelizmente, temos hoje tantas urgências na crise ambiental que enfrentamos que fica difícil escolher uma mais preocupante. Mas, não é exagero considerar que a poluição plástica está entre as mais urgentes.

Nos últimos dez anos a indústria produziu mais plástico do que em todo o século passado. De acordo com dados da ONU, são necessários 450 anos para que uma garrafa de plástico se decomponha e desapareça do meio ambiente e, para agravar ainda mais, 1 milhão de garrafas de plástico são compradas a cada minuto no mundo. E ainda estamos falando só de garrafas! Considerando que, de todo o plástico produzido, metade é utilizada apenas uma vez, não precisamos nem fazer a conta para mensurar o tamanho da poluição que estamos causando em nosso planeta. Principalmente nos oceanos, onde fica a maior concentração desses resíduos. E as consequências disso são noticiadas todos os dias. Como a morte de uma baleia-piloto, encontrada com 80 sacos plásticos no estômago, na Tailândia no último domingo. Já passou da hora dessas notícias serem a alavanca para uma mudança de atitude!

Embora muita gente se renda ao discurso de “nada vai adiantar se apenas eu mudar”, devemos insistir no lema “juntos conseguimos”! E o que é preciso fazer para combater a poluição plástica? Muita coisa, talvez seja a melhor resposta para essa pergunta. Podemos começar alterando pequenas escolhas na nossa rotina, para consumir/descartar a menor quantidade de plásticos possível. Mas podemos fazer mais! Podemos convencer outras pessoas a mudarem seus hábitos também. E ainda podemos fazer mais! Podemos cobrar maior empenho das autoridades na fiscalização das indústrias, dos aterros sanitários e que haja mais incentivo para o empreendedorismo na reciclagem desses materiais. Mas podemos ir mais além! Podemos fazer, ou incentivar, ou divulgar uma pesquisa científica que busque alternativas para o uso de materiais plásticos! Temos alterativas, sim! E devemos buscá-las, urgentemente! Engaje-se no combate à poluição plástica! O futuro agradece!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome aqui