Foram elas
que entre lutas, sonhos, resiliência e vontade de voar,
voaram! Como voaram!
Com asas de sangue, algodão e flor.
Oferecendo acalanto de um colo que sintetiza amor.
Afrouxando estereótipos e mordaças.

São elas
Poderosas, cientistas, mães e companheiras.
Exalantes de feromônios de bravura e sutileza
Empoderadas em movimentos de altruísmo e liberdade,
Como humanas que formam, descobrem e transformam vidas de verdade.

Atuam elas
Na pesquisa, na docência, no parto.
No sorriso de uma menina, numa patente, num abraço
Numa carboxilação para um corpo livre de preconceitos fartos.

Seu lugar, seu futuro, suas escolhas,
não mais admitidas por façanhas torpes.
Sim, perpetuadas pelo grito fugaz:
“Lugar de mulher é onde ela quiser estar.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome aqui